Mãe Só Há Uma

Apesar de trazer um debate sobre um tema importante e um confronto à “família tradicional brasileira” válido, ‘Mãe Só Há Uma’ trata o não-binarismo de seu protagonista como um ato de rebeldia adolescente, correndo o risco de colocar a identificação de gênero/sexual como uma repulsa aos padrões de comportamento da classe média, reduzindo o debate sobre o gênero a uma questão de classe.